#EU

BEM!

Esclareço desde já, que #EU não sou #A OUTRA. Quero dizer, de vez em quando há uma fusão entre nós, mas nunca resulta em algo bom, desse modo falarei apenas sobre mim: Beatriz Lopes.

Sou solteira à procura, ou com sorte, muita sorte, futuramente enrolada. Beiro os 32 anos, e afirmam os linguarudos-bocudos, que tenho o cérebro do tamanho de uma ervilha estufada. É que depois de estufada a ervilha diminui. Isso é mentira! Digo com relação ao meu cérebro, não sobre a ervilha. Não sou nenhum génio, é certo, mas sou normalíssima. Consigo ser tão sofisticada e adulta como qualquer pessoa.

Continuando… Não quis aborrecer-te com os meus problemas, portanto se em dois ou três parágrafos reclamei demais, e se me mostrei chata, não foi intencional. Pretendia apenas desabafar e libertar as tensões. Aliás, desabafar e libertar as tensões é o que aconselha o livro de auto-ajuda Os 50 tons da depressão.

Pelos vistos só conseguimos resolver os problemas depois de os identificarmos. A minha solução para isto é escrever uma espécie de registo quotidiano, um diário, para que eu possa observar as minhas mudanças de humor e o que me acontece: tanto de bom quanto de mau.

E é o que aqui temos: um blogue, a minha terapia caseira, meu diálogo interior e para com o mundo.